‘Massacre’ na escola, após anúncio em banheiro, juiz autoriza Revista de bolsas de alunos

Na noite de domingo, 2 de abril, o juiz José Edílson Caridade Ribeiro, autorizou a escola Literato a realizar revistas em bolsas e mochilas de seus alunos.

A instituição de ensino recorreu à Justiça após a descoberta de uma inscrição alarmante no banheiro, com os dizeres “MASSACRE – 04.04.2023”, e posteriormente, outra mensagem com a frase “O MASSACRE COMEÇOU”. Segundo a escola, um aluno do 2º ano do ensino médio publicou uma mensagem nas redes sociais indicando uma possível intenção de cometer um massacre.

Os fatos ganharam repercussão após o ataque ocorrido em uma escola em São Paulo, no dia 27 de março, que vitimou fatalmente uma professora e feriu alunos e outros profissionais.

Ao analisar o pedido do Literato, o magistrado reconheceu um “conflito de direitos” no caso, mas decidiu autorizar as revistas como medida temporária para garantir a segurança dos alunos e a tranquilidade das famílias. O juiz destacou que, assim que possível, a escola deve providenciar a instalação de detectores de metal, tornando desnecessárias as revistas. O pedido deve ser submetido imediatamente à distribuição, após o período deste plantão, para análise do juízo competente e do representante do Ministério Público vinculado.

Alex filósofo

Jornalista (DRT: 2255/MA) Professor e amante da Filosofia, Empresário, Blogueiro, graduando em Marketing Digital e Ativista Social e Cultural. Com uma formação intelectual lastreada no pensamentos de grandes nomes da filosofia e da política, a crítica é sempre desafiadora e esclarecedora..

Leave a Reply